domingo, 24 de fevereiro de 2013

Oh por favor...outra vez...?

Estar apaixonado é bom.
Estar apaixonado e ser correspondido é melhor.
Estar apaixonado, ser correspondido, e quererem estar connosco, ainda mais.
Estar apaixonado, ser correspondido, quererem estar connosco e a outra pessoa afinal ser casada, é estar condenado a falhar.

Sejamos realistas. Hoje em dia já ninguém cai à primeira. Já ninguém se apaixona facilmente. Já ninguém pensa que tudo é um mar de rosas. Ainda pensava que a idade me traria alguma sabedoria para este tipo de situações, mas continuo o mesmo coração mole de sempre.

Ok, confesso, sou fácil de agradar. Dou bastante valor à personalidade da pessoa. E quando alguém me cativa, ganha a minha atenção. Puxo mais um bocado, e ganham o meu interesse. E se me alimentarem todo este ego enorme que tenho, então dou-me de bandeja. E nunca penso "E depois, e se não der certo?". Sou um bocado ingénuo nisto, porque acredito que há pessoas como eu. Incrivelmente, não as encontro.

Voltando ao assunto em questão... gostar de alguém comprometido, é meio caminho andado para cair de cara, para me espetar de frente contra a parede, para ser corrido a pontapé. Mas mesmo assim quis continuar. Mesmo tendo em mente que não passaria muito daquilo. Tentei controlar os meus sentimentos. Tentei pensar que não me poderia dar muito, pois nunca iria resultar numa relação. Mas... naqueles pequenos momentos em que se está com a pessoa... durante uns segundos se fica a olhar nos olhos um do outro, e tudo faz sentido. Caramba, todo aquele quente interior sabe bem. Ver o carinho que a outra pessoa tem por nós, simplesmente através de um olhar. Estar ao sol num dia frio, encostarem a cabeça ao nosso peito, sussurrarem "estás-se tão bem assim, aqui contigo", meterem as mãos na nossa cara, colocarem-se em bicos de pés e darem-nos um beijo sentido... é praticamente impossível não se apaixonar por momentos destes.

Um homem não é de ferro, e eu já provei que todo eu sou mole (nada de piadas, por favor...).
Eu deveria saber que nada disto iria durar para sempre. Por mais que gostasse dos momentos com ela. Por mais que soubesse que tem alguém em casa à espera dela. Por mais que tivesse ideia que nunca iria passar de uma "brincadeira" às escondidas...caí que nem um puto apaixonado pela miúda mais linda da escola.

Depois de trocas de sentimentos mútuos, de carinhos e planos "futuros", de sestas aninhados e sexo estupidamente bom, é isto que me chega:

"Antes que se torne mais intenso, é melhor ficarmos só como amigos" diz ela.

Oh que caralho...

3 comentários:

SM disse...

É uma chatice, porque estar apaixonado é, de facto, maravilhoso... :)

esquecimedeviver disse...

Ninguém merece ser segunda opção de ninguém, mas todos sabemos que o coração pode ser traiçoeiro, cabe-nos a nós fazer as nossas escolhas.
A escolha mais acertada é ser feliz em regime de exclusividade. Seguir é sempre em frente :)

Doyle disse...

Antes de mais, olá.
Li este post com muita atenção.
Se gostas mesmo dela, vai em frente. É casada? Ok. Mas se estivesse tudo bem no casamento dela, ela não teria sucumbido aos teus encantos. Quando ela diz que é melhor ficarem amigos, é mentira. É só uma forma que ela tem de se convencer a ela própria que o que vocês têm é de curta duração. Podes começar a tentar convence-la que vocês os dois podem dar certo. Se gostas mesmo dela e tens a certeza que queres uma relação a longo prazo com ela, não desistas. Ela já cedeu fisicamente, agora só tens de conquistar o coração dela, e acho que isso não vai ser muito difícil ;)
E sim, há pessoas como tu. Eu sou uma delas, sou gaja, mas sou uma delas. E estou a viver aquilo que estás a viver também. Sou casada e há alguém. E não á nada fácil, nada mesmo. É todo um conjunto de emoções à mistura. Há dias de euforia e noites de saudade e de tristeza. Não desistas dela.